Monday, March 19, 2007

De fato, acontece

Sexta-feira, 9 de março, 15h34

Sétimo dia na "Terra da Garoa". Que garoa que nada. O sol estufa os pulmões cosmopolitas num peso de 31º. A Avenida Paulista, orgulho de tantos, fervilha. Gente pra lá e pra cá. Mesmo sob o sol escaldante, os corpos são escondidos. Ou, no máximo, modestamente expostos.

No país miscigenado, eis uma cidade clara. As etnias de origem são européias e asiáticas. Mas, decerto, essas "cores" prevalecem nas elegantes e excludentes ruas do centro.

Um chope cor-de-vinho sacoleja com os escritos sobre a mesa. Tão cedo, já há quem desacelere na esquina entre a Paulista e a Padre João Miguel.

Curiosamente, muitos barbudos passam. De terno, de jeans, de bermuda e tênis. Todos, quase sempre, fechados. São belos.

As moças, de fato, possuem uma deselegância discreta. Nada que não lhes atribua um charme sisudo.

A "cultura" está em todas as esquinas. Teatros, teatros, teatros. Botecos, cafés, espaços culturais, museus. A cerveja parece ser a bebida do Baco regente.

Nas esquinas cheias, os passos apressados jogam-se à frente das rodas motorizadas. As faixas de pedestres, obviamente, não funcionam. A tática é arriscar-se. Mas sem um tiquinho que seja de dó. E que freiem os motores a mil. Estes, aliás, vêem nas buzinas bocas nervosas de seus discursos inflamados. Com elas, manifestam-se por tudo e qualquer coisa.

Os amigos? Ah, estes, sim, marcaram a primeira passagem. Risos e "sussurros fora-da-lei." A saudade já até bate. Até o momento solitário segue embalado pela doce companhia dos divertidos instantes vividos.

Enquanto os goles adocicados descem goela abaixo, o coração se aperta. Uma saudade, do futuro que voltará a ser e do que foi sem volta breve, toma conta.

Ao viver o momento e respirar o cinzento ar de São Paulo, esqueço dos entraves e desejo viver aqui. Pode ser mero anseio instatâneo. Mas que deixa a sensação de uma semana de impossível descrição. Pelos homens e mulheres, pelo concreto, pelo vertical, pelo novo misturado ao antigo, pelas lágrimas, pelas alturas.

2 comments:

Leonardo said...

e será muito bem vinda, Candanga Paulistana!!

Juliana Borre said...

Oba! Se for tão divertido quanto da primeira vez, volto sempre...

:D